Papel Higiênico é coisa séria.

Um pouco de história.
O papel higiênico a milênios vem sido utilizado e se tem notícia que uma espécie de papel era utilizado na China no ano de 875 A.C. 
Durante toda a história os povos foram inventando as suas formas de limpar o fiofó. Os Gregos utilizavam argila, os romanos esponjas, naturais é claro, embebidas com água salgada e os Árabes a mão esquerda porque era impura. Agora não sei se ela já era impura ou se tornou impura depois, hehehe.
Se aproximando dos tempos de hoje, o pessoal se tornou um pouco mais criativo, dependendo do local era utilizado folhas de árvores, mais comum folhas de alface, penas de aves, casca de mexilhão, sabugo de milho, etc.
Adentrando o século XIX, já se tinha uma noção de reciclagem e passou a utilizar-se de folhas de jornal e catálogos de vendas, pois os produtos deveriam ser uma merda. 
No ano de 1857, foi inventado por Joseph Gavetty, uma versão de papel higiênico com folhas sobrepostas, tipo folhas de ofício, mas que não deu muito certo. E em 1867, Thomas Edward e Clarence Scott, se deram bem, inventando o papel higiênico que conhecemos hoje, enrolado em um tubo de papel cartão. 
Eles foram sendo aperfeiçoados e já existem com diversos tipos de cheiro, folha dupla, alto relevo e com desenhos em geral.
Mas com a popularidade desse papel, a sua produção de tornou uma merda, heheh, e o inmetro teve que criar uma normatização para regular a produção do tal papel. Hoje ele é fiscalizado quanto ao seu tamanho e sua largura.
Uma coisa eu ainda não entendi. Quem foi que teve a idéia dos picotes no papel higiênico? Ainda mais daquele tamanho tão pequeno, que não dá nem para limpar o nariz.
Bom, nem tudo é perfeito.
Para não dizerem que estou mentindo, acessem o site do inmetro e verifiquem os testes feitos com papel higiênico.
Deixem seus comentários.

O que é 1000 Watts pmpo?

O que é 1000 watts pmpo?

o que é 1000 watts pmpo

Existe no mercado do som, muita discussão com relação a potência PMPO e RMS. Quero com este post esclarecer algumas dúvidas sobre isso, alguns mitos e algumas verdades.

Primeiramente vamos entender os amplificadores.

o que é 1000 watts pmpo

Eles servem para pegar um sinal de baixa corrente e baixa tensão, provenientes de um leitor de CD ou então de um microfone e através da energia vinda da rede elétrica amplificar o som. Essa amplificação da tensão e da corrente é feita utilizando transístores, que podem ser de unijunção ou então MOS, que são tecnologias diferentes do material em que são construídos, mas utilizados para a mesma finalidade, com características típicas de cada um. Também são muito utilizados CIs amplificadores, que possuem a função de vários transístores dentro deles, tornando a aplicação mais fácil e diminuindo a área do circuito.

O sinal amplificado é inserido em um alto falante, para transformá-lo em som e ser propagado pelo ar. Como a galera gosta de bastante volume, é necessário um amplificador com bastante potência, o que não tem relação com um alto falante grande.

O que é 1000 watts pmpo

Em se tratando de potência, comercialmente enche os olhos, um equipamento de som na vitrine de uma loja com uma etiqueta dizendo 15000 watts pmpo. O que quer dizer esse pmpo? Muita gente não se dá conta, mas isso é o principal fator que determina a potência do equipamento. PMPO é uma potência instantânea do equipamento, em uma determinada frequência, durante alguns mili segundos, mas isso não é audível, é simplesmente medida, o que não reflete a potência real do equipamento.

Por ser determinada dessa forma ela é muito variável de um equipamento para outro, ficando em torno de 10 vezes maior do que a potência real do aparelho.

E ai chegamos na potência RMS, essa sim é a potência real do equipamento. Não adentrando na matemática do negócio, a potência RMS é uma potência sonora eficaz para nossos ouvidos, o que percebemos claramente a sua diferença. Por isso que um equipamento de 100Wats RMS tem um som com um volume maior que um rádio de 1000Wpmpo.

Alto Falantes

o que é 1000 watts pmpo

Já falando em alto falantes, o seu tamanho varia conforme a frequência sonora que ele emite, não quer dizer que um amplificador de 12 polegadas vai ter um som maior que um de 8, somente um de 12 irá tocar sons mais graves (grossos) e um de 8 um pouco mais agudos (finos). O que determina, ai sim, o volume do som em um alto falante é o tamanho do seu imã e da sua bobina. Normalmente um falante de 12 tem um imã maior que um de 8.

Já vi alto falantes pequenos, deveria ser de 6 ou 4 polegadas dizendo que tocava 100W RMS. Será que isso é verdade? Dai surge uma nova linha de falantes, com uma nova tecnologia de ímans, os chamados super ímans. São ímans fabricados, e que possuem um campo magnético enorme e podem com certeza, sem desprezar o seu tamanho, reproduzirem 100W de potência RMS. Uma coisa não tem como mudar, para tocar aquelas batidas fortes e graves do seu som, somente utilizando um alto falante de maior polegada.

A tecnologia em alto falantes de alto desempenho tem sido aplicada nos celulares modernos. Encontramos aparelhos que o som cada vez mais nítido e com maior potência.

Falei com um amigo que trabalha com celulares sobre esse assunto. Continuar>>>>

 

Sensação Térmica

Sensação Térmica

Sensação Térmica

Hoje iremos falar um pouco sobre a sensação térmica, será que isso realmente existe, ou é somente mais um mito?

Diariamente olhando algum telejornal ou até mesmo na internet, procuramos saber a previsão do tempo para a nossa cidade, a fim de não pegarmos uma chuva de surpresa no decorrer do dia, assim como também não passarmos frio ou calor.

Ao dar a notícia o homem do tempo fala o seguinte: Na cidade Fulana de tal, a temperatura máxima será de 20 graus e a mínima 15, com uma sensação térmica de 10 graus. Mas que raio é isso de sensação de 10 graus?

Sensação Térmica Como Funciona

Ela se dá pelo efeito do vento, que ao passar pelo nosso corpo retira calor pelo fenômeno físico da convecção, nos dando a sensação de que o dia está muito mais frio do que realmente é.

A mesma coisa acontece com o calor.

A concentração do calor do sol no concreto e asfalto das nossa grandes cidades, faz com que o ar nesses locais se aqueça. Esse ar quente ao passar pelo nosso corpo aumenta a nossa temperatura corporal aumentando a nossa troca de temperatura com o ambiente.

Consequentemente nos dá a sensação que está muito mais quente do que aquela temperatura medida pelo termômetro.

E agora como saber a temperatura da sensação térmica?

Pois bem, o homem do tempo utiliza de uma tabela de conversão, na qual olha-se a temperatura ambiente, juntamente com a velocidade do vento, chegando em um valor aproximado da sensação térmica.

A sensação térmica varia de pessoa para pessoa,  como também é influenciada pela umidade relativa do ar, por isso que é um valor estimado.

Para consultar a tabela de conversão e saber mais informações, acesse o site do Instituto Nacional de Meteorologia:
http://www.inmet.gov.br

Deixe seu comentário.

Como funciona um Para-Raio

Para-raio, um sistema de proteção contra descargas atmosféricas. Ele serve para proteger a nossa infraestrutura, como por exemplo torres de transmissão de energia, antenas de TV e os prédios onde moramos. Dessa mesma forma ele protege a vida das pessoas que habitam e trabalham nesses locais.

para-raio

Na imagem acima podemos verificar um para-raio do tipo Franklin instalado em uma torre que funciona como um farol de sinalização.

 

Entendendo um pouco de raio

A formação do raio se inicia com o acúmulo de energia elétrica nas nuvens. Teorias dizem que é devido ao atrito entre as massas de ar que geram uma eletricidade estática, outras dizem que essas cargas elétricas são geradas pelas diferenças de temperatura entre as massas de ar.

Com uma grande carga acumulada, essa energia é descarregada para um ponto de menor potencial elétrico, através do ar ionizado. Quando enxergamos o raio é devido ao ar que se tornou um condutor, na casa de 3 mil volts por cm de distância entre as partes.

para-raio

Os raios podem ocorrer de 3 tipos:

1 – Entre nuvens.

2 – Entre a nuvem e a terra, ou um objeto ligado a terra.

3 – Entre a terra e a nuvem, subindo ao invés de descer.

O primeiro caso, ocorre quando uma nuvem possui uma carga menor que a outra. Como as cargas elétricas tendem a se anular, os elétrons irão se deslocar de uma nuvem para a outra ocasionando o raio entre as nuvens.

O segundo caso, que é o mais comum, ocorre quando uma nuvem eletricamente carregada se aproxima de um ponto com uma carga nula ou eletricamente menor. É o que ocorre quando um raio atinge um prédio ou uma árvore por exemplo.

O terceiro caso é semelhante ao segundo, só que com os potenciais de energia inversos. Nesse caso a nuvem pode estar carregada com uma carga negativa e o prédio com um potencial equivalentemente maior, que pode ser zero.

Voltando ao para-raio

O para-raio, é uma haste metálica, normalmente com algumas pontas, ligada por um condutor até a terra. Como a terra é um mar de elétrons vai fazer com que elétrons estejam presentes na ponta do para-raio. Como a energia elétrica sempre flui pelo caminho mais fácil, o raio irá atingir esse para-raio que será direcionado para a terra. Dessa forma protegendo a estrutura do prédio como todos os equipamentos elétricos e a vida das pessoas que vivem nele.

Basicamente os para-raios podem ser de 2 tipos:

Sistema de proteção tipo Franklin

elet_captorraio_3

Sistema de Proteção tipo gaiola de Faraday

elet_captorraio-2

O Sistema radioativo não é mais utilizado atualmente e devem ser desativados por empresas especializadas.

Muito simples não?

Leia mais.

Deixe seu comentário abaixo.