Sensação Térmica

Sensação Térmica

Sensação Térmica

Hoje iremos falar um pouco sobre a sensação térmica, será que isso realmente existe, ou é somente mais um mito?

Diariamente olhando algum telejornal ou até mesmo na internet, procuramos saber a previsão do tempo para a nossa cidade, a fim de não pegarmos uma chuva de surpresa no decorrer do dia, assim como também não passarmos frio ou calor.

Ao dar a notícia o homem do tempo fala o seguinte: Na cidade Fulana de tal, a temperatura máxima será de 20 graus e a mínima 15, com uma sensação térmica de 10 graus. Mas que raio é isso de sensação de 10 graus?

Sensação Térmica Como Funciona

Ela se dá pelo efeito do vento, que ao passar pelo nosso corpo retira calor pelo fenômeno físico da convecção, nos dando a sensação de que o dia está muito mais frio do que realmente é.

A mesma coisa acontece com o calor.

A concentração do calor do sol no concreto e asfalto das nossa grandes cidades, faz com que o ar nesses locais se aqueça. Esse ar quente ao passar pelo nosso corpo aumenta a nossa temperatura corporal aumentando a nossa troca de temperatura com o ambiente.

Consequentemente nos dá a sensação que está muito mais quente do que aquela temperatura medida pelo termômetro.

E agora como saber a temperatura da sensação térmica?

Pois bem, o homem do tempo utiliza de uma tabela de conversão, na qual olha-se a temperatura ambiente, juntamente com a velocidade do vento, chegando em um valor aproximado da sensação térmica.

A sensação térmica varia de pessoa para pessoa,  como também é influenciada pela umidade relativa do ar, por isso que é um valor estimado.

Para consultar a tabela de conversão e saber mais informações, acesse o site do Instituto Nacional de Meteorologia:
http://www.inmet.gov.br

Deixe seu comentário.

Como Funciona a Microfonia

Sempre que existe um sistema de som com, microfones, amplificador e alto falantes, ai está suscetível a presença da microfonia.

microfonia

A microfonia é aquele uivo agudo ou grave que escutamos e que nos incomodam pra caramba, pois o som vai la dentro do nosso cérebro. É forma mais eficiente de acordar uma platéia que estava quase dormindo com uma apresentação chata.

Ela surge devido a um sistema de realimentação entre o microfone, amplificador e caixa de som. Quando colocamos um microfone em frente a um alto falante para que ele capte o som vindo da caixa, ai ocorre o fechamento do laço para o surgimento da microfonia.

Como ocorre a microfonia.

Esse efeito surge da seguinte forma: o som captado pelo microfone é enviado como sinal elétrico para o amplificador, que obviamente amplifica o sinal. O sinal por sua vez é enviado ao alto falante que transforma em som, esse som mais uma vez é captado pelo microfone que é amplificado pelo amplificador, tornando um ciclo vicioso e causando a microfonia.

Esse processo acontece na velocidade do som, ou seja, rapidamente. Tanto o volume, no caso o ganho, e a frequencia vão aumentando. Por isso o sistema entra em loop com o som cada vez mais alto e agudo.

Como a microfonia é um processo de realimentação positiva de um amplificador, em que é amplificada a amplificação, isso vai fazendo com que os transístores saturem dentro do amplificador, por isso que o ruído tende a se extinguir sozinho (dependendo do sistema de som utilizado).

A forma de evitá-la é conhecer corretamente a zona de captação dos microfones e posicionar as caixas de som nos lugares corretos, os manuais dos microfones mostram a área de captação de cada um o que pode ajudar muito nesse processo.

A microfonia geralmente ocorre com microfones, mas pode ocorrer com qualquer sistema de captação de instrumentos, como guitarra, violão, etc. Então fique atento.

Pesquise mais sobre microfonia em Como tudo funciona

Rebimboca da Parafuseta

Isso é problema da rebimboca da parafuseta, que coisa não?
Muitos já ouviram falar na tal rebimboca da parafuseta, mas o que realmente é isso?
Na verdade é qualquer coisa, como também não é nada. Até o exato momento, nunca foram criadas peças de automóveis com o nome de rebimboca da parafuseta, comercialmente falando. Quem sabe aquele mecânico de confiança lá da esquina, do tempo da Brasília e do Fusca se referencia como rebimboca da parafuseta alguma presilha, etc, mas até hoje nada oficial.
Essa expressão, teve seu surgimento oficialmente desconhecido, dizem que os mecânicos usam essa expressão quando querem enrolar alguma mulher para explicar o defeito do carro, ou então de uma forma irônica, tirando sarro. Não podemos negar que soa bem, que é uma expressão engraçada.
Até mesmo no seu Aurélio, famoso dicionário, não consta nada, nem como rebimboca e muito menos parafuseta.
Então bom proveito e use como bem entender.
Não esqueça de deixar seu comentário, que é muito importante.

Como funciona um Para-Raio

Para-raio, um sistema de proteção contra descargas atmosféricas. Ele serve para proteger a nossa infraestrutura, como por exemplo torres de transmissão de energia, antenas de TV e os prédios onde moramos. Dessa mesma forma ele protege a vida das pessoas que habitam e trabalham nesses locais.

para-raio

Na imagem acima podemos verificar um para-raio do tipo Franklin instalado em uma torre que funciona como um farol de sinalização.

 

Entendendo um pouco de raio

A formação do raio se inicia com o acúmulo de energia elétrica nas nuvens. Teorias dizem que é devido ao atrito entre as massas de ar que geram uma eletricidade estática, outras dizem que essas cargas elétricas são geradas pelas diferenças de temperatura entre as massas de ar.

Com uma grande carga acumulada, essa energia é descarregada para um ponto de menor potencial elétrico, através do ar ionizado. Quando enxergamos o raio é devido ao ar que se tornou um condutor, na casa de 3 mil volts por cm de distância entre as partes.

para-raio

Os raios podem ocorrer de 3 tipos:

1 – Entre nuvens.

2 – Entre a nuvem e a terra, ou um objeto ligado a terra.

3 – Entre a terra e a nuvem, subindo ao invés de descer.

O primeiro caso, ocorre quando uma nuvem possui uma carga menor que a outra. Como as cargas elétricas tendem a se anular, os elétrons irão se deslocar de uma nuvem para a outra ocasionando o raio entre as nuvens.

O segundo caso, que é o mais comum, ocorre quando uma nuvem eletricamente carregada se aproxima de um ponto com uma carga nula ou eletricamente menor. É o que ocorre quando um raio atinge um prédio ou uma árvore por exemplo.

O terceiro caso é semelhante ao segundo, só que com os potenciais de energia inversos. Nesse caso a nuvem pode estar carregada com uma carga negativa e o prédio com um potencial equivalentemente maior, que pode ser zero.

Voltando ao para-raio

O para-raio, é uma haste metálica, normalmente com algumas pontas, ligada por um condutor até a terra. Como a terra é um mar de elétrons vai fazer com que elétrons estejam presentes na ponta do para-raio. Como a energia elétrica sempre flui pelo caminho mais fácil, o raio irá atingir esse para-raio que será direcionado para a terra. Dessa forma protegendo a estrutura do prédio como todos os equipamentos elétricos e a vida das pessoas que vivem nele.

Basicamente os para-raios podem ser de 2 tipos:

Sistema de proteção tipo Franklin

elet_captorraio_3

Sistema de Proteção tipo gaiola de Faraday

elet_captorraio-2

O Sistema radioativo não é mais utilizado atualmente e devem ser desativados por empresas especializadas.

Muito simples não?

Leia mais.

Deixe seu comentário abaixo.